Em uma reunião crucial do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI) realizada em Brasília, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) revelou sua abordagem ousada ao Plano Mais Produção, um programa que canalizará recursos substanciais para impulsionar a neoindustrialização no Brasil até 2026. Com uma alocação mínima de R$ 250 bilhões, parte dos R$ 300 bilhões destinados ao Plano, o BNDES está firmando seu compromisso com a execução efetiva da Nova Indústria Brasil, uma política de desenvolvimento industrial recentemente apresentada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo CNDI.

Divisão Estratégica dos Recursos:

  • Indústria Mais Inovadora e Digital (Investimento Previsto: R$ 66 bilhões): O BNDES e a Finep lideram este setor, disponibilizando R$ 41 bilhões em créditos através do Programa Mais Inovação. Desse montante, R$ 21 bilhões provêm do BNDES e R$ 20 bilhões da Finep. O financiamento, com custo financeiro TR, terá como fonte 1,5% do saldo do FAT, conforme legislação vigente. Adicionalmente, R$ 21 bilhões em recursos não reembolsáveis, provenientes da Finep, Embrapii e Fundo Nacional de Desenvolvimento Industrial e Tecnológico (FNDIT), serão direcionados para impulsionar a inovação e digitalização. A BNDESPAR investirá R$ 4 bilhões em projetos alinhados às missões definidas pela nova política industrial.
  • Indústria Mais Verde (Investimento Previsto: R$ 12 bilhões): O Plano destina 20% da captação anual do Fundo Clima, totalizando R$ 8 bilhões, para projetos industriais voltados à sustentabilidade. A BNDESPAR aportará R$ 4 bilhões em instrumentos de renda variável, focando na descarbonização e transição ecológica. Notavelmente, o Fundo de Minerais Críticos é uma iniciativa destacada neste setor.
  • Indústria Mais Exportadora (Investimento Previsto: R$ 40 bilhões): O BNDES estima a aprovação de R$ 40 bilhões para operações relacionadas às linhas de pré-embarque e pós-embarque, oferecendo flexibilidade ao cliente na escolha do custo financeiro entre TLP, SELIC, SOFR e US Treasury. A estimativa inclui a redução do spread básico da linha de pré-embarque nos próximos 3 anos.
  • Indústria Mais Produtiva (Investimento Previsto: R$ 182 bilhões): Este setor, focalizado na produtividade industrial, receberá investimentos significativos, sendo R$ 177,8 bilhões destinados a operações do BNDES em crédito para o desenvolvimento produtivo. Outros R$ 4 bilhões, provenientes do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicação (FUST), serão direcionados para projetos de expansão da banda larga. Além disso, o Programa Brasil Mais Produtivo receberá R$ 200 milhões para créditos disponibilizados pelo BNDES e Finep.

Impacto Fiscal e Transparência: A implementação do Plano Mais Produção está alinhada com o orçamento previsto, sem impactos fiscais adicionais. Ressalta-se que os R$ 8 bilhões destinados ao mercado de capitais serão direcionados principalmente para parcerias estratégicas, como fundos de investimento em participações, visando a descarbonização da economia e inovação. O BNDES, reconhecido em 2023 como a estatal mais transparente, destaca seu rigoroso acompanhamento técnico e colegiado em todas as decisões de concessão de crédito, assegurando a efetiva execução física e financeira dos projetos.

Avatar de rede33

FONTE: BNDES

By rede33