Cruzeiro (MV Werften/.)
Estima-se que quase um milhão de passageiros, entre embarques, desembarques e navios em trânsito, desembarquem em Santos, com uma oferta de 560 mil leitos. De acordo com a Concais, o impacto financeiro previsto para a cidade atingirá a expressiva cifra de R$ 640 milhões.

A temporada de cruzeiros no Brasil, que teve início em outubro de 2023, promete alcançar marcas extraordinárias, estendendo-se até maio deste ano. Com a duração de 195 dias, esta é a maior temporada dos últimos dez anos. O Terminal Marítimo de Passageiros Giusfredo Santini (Concais), situado em Santos, será o palco para 15 embarcações em 2024, incluindo cinco navios que realizarão embarques regulares na cidade: MSC Grandiosa, MSC Preziosa, MSC Armonia, Costa Diadema e Costa Favolosa. A Secretaria de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo, por meio do Centro de Inteligência de Economia do Turismo (CIET), monitora os impactos positivos gerados pelos cruzeiros, prevendo um influxo notável durante a alta estação, com a Baixada Santista recebendo um total de 2,8 milhões de visitantes.

A presença imponente dos navios no maior porto do Brasil não apenas destaca os atrativos turísticos da cidade, mas também catalisa o interesse de visitantes em explorar as belas extensões de suas praias. Estima-se que quase um milhão de passageiros, entre embarques, desembarques e navios em trânsito, desembarquem em Santos, com uma oferta de 560 mil leitos. De acordo com a Concais, o impacto financeiro previsto para a cidade atingirá a expressiva cifra de R$ 640 milhões.

“Os cruzeiros contribuem de maneira significativa para o turismo no estado de SP, impulsionando a economia, a geração de empregos, a infraestrutura, a promoção turística, além de cultura e entretenimento”, explica o secretário de Turismo e Viagens, Roberto de Lucena. A movimentação nos portos não só atrai turistas de diversas partes do mundo, mas também impulsiona o consumo na economia local, abrangendo setores como transporte, alimentação, comércio, serviços turísticos e hospedagem.

A indústria de cruzeiros não apenas cria empregos diretos e indiretos para residentes, abrangendo desde trabalhadores portuários até guias turísticos, mas também oferece oportunidades para aqueles que desejam experimentar o ambiente único de trabalho em um navio. Segundo a Cruise Lines International Association (CLIA), a expectativa do setor para este ano é gerar 80 mil empregos.

Além disso, a indústria incentiva investimentos na infraestrutura turística, promovendo melhorias nos portos e terminais de cruzeiros, aprimorando a experiência dos cruzeiristas e beneficiando não apenas o setor, mas diversos aspectos do turismo local.

Autor: Silvano Saldanha/JN Libertti

Fonte: Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo

By rede33