O "Tonelero” (S42) foi lançado ao mar nesta quarta-feira, dia 27 de março, em Itaguaí, no Rio de Janeiro - Foto: Ricardo Stuckert / PR

O Brasil alcançou um marco histórico no desenvolvimento naval com o lançamento ao mar do submarino “Tonelero”, fruto do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (ProSub), que teve a presença dos presidentes Lula e Emmanuel Macron na cerimônia.

Nesta quarta-feira, 27 de março, em Itaguaí, Rio de Janeiro, foi realizado o lançamento do terceiro Submarino Convencional com Propulsão Diesel-Elétrica (S-BR) totalmente construído no país, batizado como “Tonelero” (S42). A presença dos líderes políticos evidencia a importância estratégica e econômica desse programa.

O Almirante de Esquadra Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, Diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, enfatiza que o ProSub não apenas representa uma conquista tecnológica, mas também um significativo impulso econômico para o Brasil. Mais de 20 mil empregos diretos e 40 mil empregos indiretos foram gerados, demonstrando o impacto positivo do programa na economia nacional.

Além do “Tonelero”, dois outros submarinos, o Riachuelo (S40) e o Humaitá (S41), já foram entregues e estão em operação. O ProSub prevê a construção de um total de cinco embarcações, incluindo um Submarino Convencionalmente Armado com Propulsão Nuclear (SCPN), sendo este último o principal objetivo do programa.

O SCPN representa um desafio tecnológico significativo, demandando desenvolvimento específico para seu projeto e a fabricação de sua Planta Nuclear Embarcada (PNE). O ProSub prioriza a aquisição de componentes fabricados localmente, impulsionando a indústria nacional e gerando empregos em diversas áreas.

O investimento total no ProSub, estimado em cerca de R$ 40 bilhões, não só fortalece a defesa do país, mas também impulsiona a economia, evidenciando-se como um dos maiores investimentos em curso na Marinha e um dos principais programas estratégicos de Defesa do Brasil.

O programa não se restringe apenas à construção de submarinos, mas também engloba o desenvolvimento de uma infraestrutura industrial para apoiar a operação dessas embarcações, incluindo estaleiros, Base Naval e a Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM).

O impacto socioeconômico do ProSub é notável, estimulando o crescimento econômico local e nacional, capacitando uma força de trabalho altamente qualificada e especializada, e fomentando o desenvolvimento de uma base industrial robusta. Regiões diretamente impactadas pela construção dos submarinos são beneficiadas com o estímulo ao comércio, infraestrutura e desenvolvimento urbano.

O recente anúncio do Novo PAC pelo Governo Federal, com R$ 52,2 bilhões destinados à área da Defesa, incluindo o Programa Nuclear da Marinha (PMN) e o ProSub, demonstra o compromisso em equipar o país com tecnologias avançadas e fortalecer a capacidade de defesa nacional, o que certamente contribuirá para o crescimento econômico e a segurança do Brasil.

Avatar de rede33

Deixe seu comentário:

    By rede33