Foto: Policia Federal/Divulgação

No último sábado (13), uma embarcação encontrada no litoral paraense levanta questões sobre a rota migratória para o continente europeu. Segundo a Polícia Federal (PF), a embarcação tinha como destino as Ilhas Canárias, na Espanha, ponto de entrada frequentemente utilizado por migrantes africanos.

A PF sugere que a embarcação, de fabricação artesanal e sem equipamentos de navegação modernos, possivelmente partiu da Mauritânia, na África, e acabou desviando sua rota em direção ao Brasil devido às correntes marítimas.

Dentro da embarcação foram encontrados nove corpos, mas estima-se que pelo menos 25 pessoas estavam a bordo. Os corpos, acompanhados de documentos e objetos indicativos de origem africana, sugerem que os migrantes eram da Mauritânia e do Mali, embora também possam incluir outras nacionalidades.

A perícia inicial, realizada em conjunto com a Polícia Científica do Pará, confirma a origem africana das vítimas e indica que as circunstâncias apontam para uma tragédia migratória.

Este não é o primeiro caso do gênero registrado no Brasil. Em 2021, três corpos foram encontrados em uma embarcação no litoral do Ceará, próximo à capital Fortaleza, evidenciando a recorrência desses incidentes.

Desafios da Migração

A Organização Internacional das Nações Unidas para as Migrações no Brasil (OIM) lamentou a perda de vidas e destacou a necessidade urgente de ações para prevenir tais tragédias. Segundo relatório da OIM, entre 2014 e 2023, mais de 64 mil pessoas morreram ou desapareceram durante suas migrações, com quase 60% das mortes relacionadas a afogamentos.

A rota do Atlântico para as Ilhas Canárias é uma das principais rotas migratórias utilizadas, especialmente por aqueles que fogem de países em conflito, como o Mali, destacado como origem das vítimas encontradas no litoral paraense.

O Alto-comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) também expressou profundo pesar pelas vidas perdidas e destacou a necessidade de uma abordagem integrada entre os países para apoiar pessoas deslocadas por diversas razões, incluindo violações de direitos humanos e conflitos.

O Brasil, reconhecendo a situação de violação de direitos humanos em países como Mali e Burkina Faso, facilita processos de solicitação de refúgio para pessoas dessas regiões, além de outras como Afeganistão, Iraque, Venezuela e Síria.

Conclusão

Os recentes eventos no litoral paraense destacam os desafios enfrentados por migrantes em busca de segurança e melhores condições de vida. Enquanto isso, organizações internacionais reforçam a necessidade de ações coordenadas para garantir uma migração segura e ordenada, protegendo os direitos daqueles que buscam refúgio em terras estrangeiras.

Fonte: Policia federal/Agência Brasil

Checagem:

Avatar de rede33

Deixe seu comentário:

    By rede33