Foto: Freepik

A possibilidade de uma guerra nuclear entre a Rússia e a OTAN está se tornando cada vez mais real, com ambos os lados se aproximando perigosamente dessa linha tênue. O uso de armas nucleares é geralmente visto como o último recurso em um conflito, mas a pergunta que paira é: quando um líder se sentiria pressionado a usá-las?

Contexto Atual: A Ucrânia como Ponto de Tensão

A Rússia enfrenta um cerco implacável, com os Estados Unidos e a OTAN fornecendo dinheiro e armas ilimitadas para apoiar a Ucrânia. Esse apoio está prolongando o conflito, mantendo a guerra em um estado de estagnação, onde ambos os lados não conseguem avançar. Enquanto isso, o Ocidente continua a enviar soldados e equipamentos para fortalecer a posição ucraniana na linha de frente.

Pressão Interna na Rússia

A popularidade do presidente Vladimir Putin corre o risco de despencar à medida que a guerra se prolonga e as baixas aumentam. Esse cenário pode alimentar a oposição interna, colocando Putin em uma situação precária, onde um golpe de estado se torna uma possibilidade real. Um novo líder opositor, mais nacionalista, poderia emergir, disposto a tomar medidas ainda mais agressivas contra a OTAN, não hesitando em iniciar uma guerra mais ampla.

A Escalada do Conflito

O jogo está se tornando cada vez mais perigoso. Se o Ocidente continuar a financiar a Ucrânia e enviar soldados, esta guerra pode nunca acabar. A Rússia, por sua vez, pode chegar a um ponto onde, diante de derrotas significativas ou grandes perdas, opte pelo último recurso: o uso de armas nucleares para manter o controle interno e projetar poder.

Ocidente subestimando a Rússia

Os Estados Unidos e a OTAN estão subestimando gravemente a Rússia em um jogo extremamente perigoso. Há uma crença por parte do Ocidente de que Putin não teria coragem de usar armas nucleares, o que poderia levar à intensificação dos financiamentos para que a Ucrânia ataque o território russo, sem considerar possíveis retaliações nucleares por parte da Rússia. Esse excesso de confiança pode estar levando ambos os lados a ultrapassarem limites perigosos.

O Papel da Diplomacia Internacional

Confiar na diplomacia mundial, em especial nas Nações Unidas, para evitar uma guerra nuclear parece cada vez mais ilusório. Se a ONU não conseguiu evitar a guerra entre Rússia e Ucrânia, ou o conflito entre Israel e Hamas, como poderá impedir uma guerra nuclear? A eficácia da diplomacia global está em questão.

Consequências de uma Guerra Nuclear

Em uma guerra, tudo pode acontecer: conspirações, revanchismo e perda total de controle sobre a situação. Tanto a OTAN e os Estados Unidos quanto a própria Rússia enfrentam riscos internos e externos. O apoio ocidental irrestrito à Ucrânia com dinheiro, armas e soldados coloca a questão: quanto tempo a Rússia pode sustentar essa guerra convencional?

A Questão Final

A grande questão é: quando a Rússia recorrerá ao uso de armas nucleares? A linha entre guerra convencional e conflito nuclear está perigosamente tênue. A resposta pode estar em uma derrota russa na guerra convencional, escassez de armamentos e soldados, ou ataques ao seu território, levando ao uso de armas nucleares como último recurso. A Rússia também pode antecipar-se e atacar aliados da OTAN que fornecem armas na região. Se o conflito alcançar esse ponto, o mundo poderá testemunhar uma guerra nuclear sem precedentes, que definirá uma nova ordem mundial, resultando na aniquilação de grande parte da humanidade ou até mesmo em um apocalipse nuclear.

Silvano Saldanha/JN LIBERTTI

Avatar de rede33

By rede33

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *