dims.apnews e1719469226465Foto: AP

A Bolívia enfrenta mais uma tentativa de golpe, abalando a estabilidade do país. As Forças Armadas realizaram mobilizações irregulares, com tanques e tropas cercando a sede do governo em La Paz. O presidente boliviano, Luis Arce, denunciou essas ações como uma ameaça à democracia. O ex-presidente Evo Morales classificou o ocorrido como um “golpe de Estado”. A Organização dos Estados Americanos (OEA) também condenou a tentativa de golpe, afirmando que não tolerará quebras da ordem constitucional. Outros líderes, como o presidente do Brasil, Lula, manifestaram cautela e apoio à democracia na América Latina. O Ministério das Relações Exteriores do Brasil está acompanhando a situação e obtendo mais informações. A esperança é que a situação seja resolvida de forma pacífica e dentro dos limites democráticos.

Tensão Política Crescente Antes das Eleições de 2025

As tensões têm sido construídas na Bolívia antes das eleições gerais em 2025, com o ex-presidente de esquerda Evo Morales planejando concorrer contra o ex-aliado Arce, criando uma grande divisão no partido socialista no poder e incerteza política mais ampla. Muitos não querem o retorno de Morales, que governou de 2006 a 2019, quando foi deposto em meio a protestos generalizados e substituído por um governo conservador interino. Arce venceu as eleições em 2020. Recentemente, Zuniga disse que Morales não deveria poder voltar como presidente e ameaçou bloqueá-lo se ele tentasse, o que levou Arce a remover Zuniga de seu cargo.

Crise Econômica e Política

Os bolivianos têm sofrido com o crescimento econômico lento, aumento da inflação e escassez de dólares – uma mudança significativa em relação à década anterior, que alguns chamaram de “milagre econômico”. A economia do país cresceu mais de 4% quase todos os anos na década de 2010, até a chegada da pandemia de coronavírus, que agravou os problemas econômicos já existentes desde 2014, quando os preços das commodities despencaram.

Durante esse período, o governo utilizou suas reservas cambiais e de ouro e até vendeu títulos em dólar localmente para sustentar os gastos. Luis Arce, que foi ministro das Finanças durante quase toda a década de forte crescimento sob a liderança de Evo Morales, encontrou um cenário econômico sombrio ao assumir a presidência em 2020. A diminuição da produção de gás contribuiu para o declínio do modelo econômico do país, levando a problemas como a escassez de combustível. Este ano, o Fundo Monetário Internacional prevê um crescimento de apenas 1,6%, o mais lento em 25 anos, exceto pelo impacto da pandemia em 2020.

Conflito Interno no Partido Socialista

Com a crise econômica como pano de fundo, o presidente Arce e o ex-líder Morales entraram em confronto em uma luta política que paralisou os esforços do governo para lidar com a situação. Aliados de Morales no Congresso frustraram tentativas de Arce de assumir dívidas para aliviar parte da pressão econômica.

Histórico de Instabilidade

A Bolívia tem uma longa história de instabilidade política, com mais de 190 tentativas de golpe e revoluções desde a sua independência em 1825. Esse ciclo repetitivo de conflito entre elites políticas urbanas e setores rurais marginalizados continua a definir o cenário político do país.

Tentativas de Golpe Recentes

A tentativa de golpe de hoje não é a primeira nos últimos anos. Em 2019, Morales concorreu a um terceiro mandato inconstitucional e venceu uma votação contestada, marcada por alegações de fraude. Isso desencadeou protestos em massa, resultando em 36 mortes e levando Morales a renunciar e fugir do país. Um governo interino de direita assumiu o controle, liderado por Jeanine Áñez, o que o Movimento para o Socialismo de Morales (MAS) chamou de golpe.

Futuro Incerto

Arce, sucessor escolhido por Morales, venceu a eleição prometendo restaurar a prosperidade à Bolívia, que já foi a principal fonte de gás natural da América Latina.

A situação atual na Bolívia destaca as profundas divisões políticas e econômicas do país. A resolução pacífica e dentro dos limites democráticos é essencial para garantir a estabilidade e o bem-estar do povo boliviano.

Avatar de rede33

By rede33

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *