Foto: SPTrans

Na decisão proferida nesta terça-feira (16/4), a 1ª Vara de Crimes Tributários, Organização Criminosa e Lavagem de Bens e Valores da Capital acatou a denúncia apresentada pelo Ministério Público de São Paulo (MPSP), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), transformando 19 indivíduos alvos da Operação Fim da Linha em réus.

Na semana anterior, um contingente de quase 500 agentes públicos do Gaeco, da Polícia Militar, do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e da Receita Federal realizaram uma operação conjunta para cumprir mandados de prisão e busca e apreensão. Essa ação teve como objetivo desmantelar uma organização criminosa que, por meio da empresa Upbus, lavava recursos ilícitos do Primeiro Comando da Capital (PCC), provenientes de atividades como tráfico de drogas, roubos e outros delitos.

Além de aceitar a denúncia, a Justiça determinou o bloqueio de mais de R$ 600 milhões em patrimônio, visando garantir o pagamento a título de dano moral coletivo. Neste mesmo dia, Alexandre Salles Brito, conhecido como “Buiú”, teve sua prisão preventiva decretada e efetivada. Buiú era um dos sócios da Upbus e possui vínculos com o PCC. Outro indivíduo ligado à organização criminosa, Décio Português, teve sua prisão decretada, porém encontra-se foragido até o momento.

O desdobramento dessa operação reforça o compromisso das autoridades em combater a criminalidade organizada e seus métodos de lavagem de dinheiro, bem como em buscar a responsabilização daqueles envolvidos em atividades ilícitas que prejudicam a sociedade. O desenrolar do processo judicial será acompanhado de perto pela população, que espera por justiça e pelo desmantelamento efetivo de redes criminosas que atuam no país.

Fonte: MPSP

Silvano Saldanha/JN Libertti

Avatar de rede33

Deixe seu comentário:

    By rede33