O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o presidente da França, Emmanuel Macron, marcaram presença nesta quarta-feira, 27 de março, no lançamento e batismo ao mar do submarino “Tonelero” (S42), uma conquista monumental realizada no Complexo Naval de Itaguaí, localizado no Rio de Janeiro. Este evento emblemático celebra a fabricação integral do submarino no Brasil, uma realização que se insere no Programa de Desenvolvimento de Submarinos (ProSub), fruto da Parceria Estratégica Brasil-França, estabelecida em 2008, cujo investimento aproximado é de R$ 40 bilhões.

O presidente Lula enfatizou a importância do ProSub como o maior e mais significativo projeto de cooperação internacional em questões de defesa do Brasil, sublinhando seu papel crucial na salvaguarda da soberania nacional ao longo do litoral brasileiro. Além disso, destacou o impacto positivo do programa na indústria naval, gerando empregos e renda, e impulsionando o desenvolvimento do setor por meio de inovações.

Durante a cerimônia, Lula ressaltou que o “Tonelero” representa o terceiro submarino da série desenvolvida em colaboração com a França desde 2008, seguindo os modelos “Riachuelo” e “Humaitá”. Ele também anunciou a previsão do lançamento de um quarto submarino, o “Angostura”, em 2025, coincidindo com o bicentenário das relações entre Brasil e França. Além disso, mencionou os planos para a fabricação do submarino brasileiro com propulsão nuclear, o “Álvaro Alberto”.

O presidente francês expressou sua satisfação em participar do lançamento do submarino “Tonelero”, ressaltando sua importância histórica ao ser batizado com o nome de uma vitória significativa para o Brasil. Macron reconheceu o progresso impressionante do Brasil na construção naval, transformando o local de Itaguaí, que era antes uma área de florestas e pântanos, em um dos estaleiros mais modernos do mundo e o único no hemisfério Sul.

Com o estabelecimento do complexo na Baía de Sepetiba (RJ), o Brasil se destaca entre um seleto grupo de nações com expertise na construção de submarinos. Lula enfatizou que a cooperação Brasil-França em defesa se estende além do âmbito naval, abrangendo também helicópteros produzidos em Itajubá (MG), a única fábrica de helicópteros da América Latina, resultado do consórcio Helibras/AIRBUS.

Para fortalecer ainda mais essa cooperação, Lula anunciou a criação do Comitê Bilateral de Armamentos, em conjunto com Macron, visando desenvolver sinergias e promover um comércio mais equilibrado de produtos de defesa. Ambos os líderes reiteraram o compromisso com o desenvolvimento tecnológico para fins pacíficos, enfatizando a importância de fortalecer parcerias baseadas no desenvolvimento científico e tecnológico.

Macron destacou as afinidades entre França e Brasil, expressando o desejo de ampliar a parceria em diversas áreas, incluindo defesa e proteção ambiental. Ambos os líderes ressaltaram a importância das grandes potências pacíficas se unirem para defender a ordem internacional e promover a paz.

O projeto do “Tonelero” incorpora a modernidade das embarcações francesas da classe Scorpène, adaptadas às necessidades específicas da Marinha do Brasil. Com a primeira-dama brasileira, Janja Lula da Silva, como madrinha de batismo, o submarino contribuirá significativamente para a defesa da vasta faixa costeira do Brasil, conhecida como “Amazônia Azul”.

Além de sua importância estratégica, os submarinos construídos no âmbito do ProSub possuem uma capacidade dissuasória considerável, sendo armas letais de difícil detecção quando submersas. Essa capacidade dissuasória contribui para a segurança e defesa do Brasil, exigindo esforços substanciais para sua localização e combate por parte de forças navais adversárias.

O ministro da Defesa, José Mucio, destacou o impacto econômico da indústria de defesa, que representa uma parte significativa do PIB brasileiro e gera milhões de empregos diretos e indiretos. O ProSub, além de sua importância estratégica, tem um impacto positivo na economia, com a geração de milhares de empregos e o envolvimento de centenas de empresas.

Estruturado como um programa de desenvolvimento científico e tecnológico, o ProSub prioriza a capacitação de mão de obra especializada e o estímulo à indústria nacional, promovendo a aquisição de componentes fabricados no Brasil. Além disso, visa à construção de um complexo industrial e de apoio à operação dos submarinos, com infraestrutura e tecnologia de ponta.

A transferência de tecnologia entre os países envolvidos no programa proporcionará ao Brasil a capacidade de projetar, construir, operar e manter seus próprios submarinos, tanto convencionais quanto com propulsão nuclear. Esse avanço tecnológico não só fortalecerá a área de defesa, mas também impulsionará setores civis, como ciência, tecnologia e inovação, contribuindo para o desenvolvimento nacional de forma abrangente e sustentável.

Avatar de rede33

Deixe seu comentário:

    By rede33